PARTÍCULAS DE SOLIDÃO

PARTÍCULAS DE SOLIDÃO

Na amplitude do meu ser sou eu um herói para alguns e um mestre para outros. Sou um menino e uma criança, sou um adulto e um jogador de futebol. Parte de mim se manifesta com parte de vocês e forma um eu herói. Parte de minha turma se manifesta com persona de mim e forma uma eu mestre.

Mas então sou adulto que não aproveitei as coisas que fiz e vi na minha infância conturbada pelo silêncio, imaturo, febril, minha mãe que um dia a morte levou vê as coisas erradas que pratiquei. Tento de todas as formas regenerar-me, será que vou conseguir?

Se a morte custa-se muito, eu não mataria, mas foi obrigado, sem razão eu sofro.

Quando todos estão conversando e outra turma jogar vôlei fico sentado entre as flores em volta uma solidão, o melhor pedaço de solidão que vem de algum lugar dilacerado.

Percebo que ninguém conhece-me a ponto de saber quem sou pois cada grupo sou eu sozinho o diferente.

Sou o diferente sobrinho, sou o diferente amigo e nunca é pelo mesmo motivo que sou eu sozinho.

As partículas de solidão vêm de forças extremas.

E fico sentado na varanda o mesmo, talvez fazia meu avô.

Tentei ver as coisas que me mostra, mas eu não aprendi nada.

Bruno Gonsalves e Carlos Arouca 10-12-99