Um instante, dois segundos, um milésimo (era ela)

Um instante, dois segundos, um milésimo (era ela)

Quando não pude perceber o que tinha em minha frente.

Quando fiquei parado a procura de minhas lembranças, perdidas!

E se muito foi o momento parado… Sorrir e vi a realidade.

Ela estava em minha frente, quando não pude perceber o que tinha em minhas mãos.

Ela estava em movimento, no momento em que estava parado e minhas lembranças não eram perdidas.

E realmente sorrir e vi realidade e neste momento eu não estava parado.

Era ela, ela e só ela que estava parada em minha frente. De frente para mim, com um sorriso no rosto.

Era ela, só ela, a felicidade na minha frente. Era eu que não tinha percebido.

Foi só por um instante, dois segundos, um milésimo, e nossos olhares entrecruzaram-se e pude perceber, mais uma vez, era ela.

Era ela a mulher que tinha idealizado para a minha vida. Com o tempo, percebi mais um pouco que não poderia viver sem aquele olhar… Primeiro o olhar, depois o toque, o beijo e não só o corpo, mas a alma minha já era dela.

Era ela e só ela o motivo de minha vida, o ar que entra em minhas narinas, só era possível através dela. Com mais um tempo não havia mais motivos de separação, pois, os corpos já haviam se unido… E foi só por um instante, dois segundos, um milésimo que nossos olhares entrecruzaram-se e pude perceber, mais uma vez, era ela.

A mulher que me apaixonei, que aprendi a me desapaixonar, para poder amá-la com seus defeitos e virtudes.

Só por um instante, dois segundos, um milésimo, e neste pouco tempo era só ela em minha frente.

Bruno S. Gonsalves 04-05-2007 01:39H